Google+ Followers

segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Um pouco de realidade e bom-senso é bom...

 
Por HP
 
 
Irmão,
 
Gostaria de lembrá-lo das passagens de Apocalipse, das sete igrejas da Ásia Menor. Várias delas foram alertadas de seus erros por Cristo e exortadas a se arrependerem. Outras foram glorificadas por Cristo, pelas virtudes demonstradas diante das aflições. Mas todas elas hoje estão mortas. Na região delas hoje menos de 1% da população é cristã.
 
A morte de uma igreja acontece quando ela se aparta da verdade. Pérgamo e Tiatira deram ouvidos a doutrina de Balaão, as riquezas terrenas e se corromperam na doutrina e na ética. Quantas  denominações se esvaziaram pois deixaram a doutrina e quantas outras cresceram em número, mas sem compromisso com a VERDADE e SANTIDADE.
 
A morte de uma igreja acontece quando ela se mistura com o mundo. Pérgamo estava dividida entre a fidelidade a Cristo e o apego ao mundo. Tiatira tolerava a imoralidade sexual entre os membros. Sardes (aonde não havia nem heresia e nem perseguição) possuía a maioria dos crentes com vestiduras contaminadas pelo pecado. Quando a igreja FLERTA COM O MUNDO amando-o e conformando-se com ele, ela não permanece. Seu candeeiro é apagado e removido.
 
A morte de uma igreja acontece quando ela não discerne sua decadência espiritual. Sardes olhava-se no espelho e se dava nota máxima a si mesma, DIZENDO SER UMA IGREJA VIVA, quando aos olhos de Cristo estava morta. Laodicéia era RICA E ABASTADA, pensando ser abençoada por Deus, quando estava pobre e miserável diante de Deus. O pior doente é aquele que não tem consciência da enfermidade. Uma igreja nunca está tão a beira da morte quando se VANGLORIA diante de Deus pelas suas supostas virtudes.
 
A morte de uma igreja acontece quando ela não associa a doutrina com a vida. Éfeso foi elogiada por Jesus pelo zelo doutrinário, mas repreendida severamente por ter abandonado o AMOR. Tinha doutrina, mas não tinha vida. Tinham belo discurso, mas nada feito na prática. Jesus ordenou a se lembrarem aonde tinham caído e se arrependerem. Uma igreja viva tem DOUTRINA, VIDA, HUMILDADE e AMOR.
 
A morte de uma igreja acontece quando lhe falta perseverança no caminho da santidade. Esmirna e Filadélfia foram elogiadas pelo Senhor, não receberam nenhuma correção. Mas, num dado momento, nos percalços do futuro, elas também se afastaram da verdade, perderam sua relevância e desapareceram. NÃO BASTA COMECAR BEM, É PRECISO TERMINAR BEM. Falhamos muitas vezes em passar o bastão da verdade para a próxima geração.
 
A primeira geração de uma igreja sempre vem fervorosa. Isso aconteceu conosco na CCB entre 1910 a 1950. Deus operava maravilhas, o povo amava ao Senhor, desbravavam territórios levando a Palavra de Deus, o respeito era compartilhado por todos, a união era visível. Os membros eram luz de Cristo no mundo, espalhando o AMOR de Deus para crentes e não-crentes. Deus se usava de Velhos, Adultos, Jovens e Crianças.
 
A Segunda geração veio na inércia da primeira. Entre 1950-1990 os novos membros começaram a majoritariamente serem filhos de membros antigos. Costumes, hierarquias, burocracias foram criadas e colocadas à frente da Palavra de Deus. O Amor esfriou, as regras cresceram, a ousadia de pregar o Evangelho diminuiu.
 
Agora temos a terceira geração. Jovens e crianças que não sabem o significado da Cruz de Cristo, tem vergonha de pregar o Evangelho ao mundo, Vergonha de não apenas se vestirem modestamente, mas de rechaçarem os pecados mundanos, ambicionando o que o mundo faz, se corrompendo como o mundo se corrompe, sendo egoístas e mesquinhos como o mundo é.
 
São poucos os jovens que são verdadeiramente luz. Que manejam a Palavra com sabedoria, que sabem entrar e sair diante dos infiéis. Que defendem a fé com a própria vida!
 
Olhe para a mocidade na tua cidade e região. Eles lotam reuniões de mocidade, mas pergunte a eles sobre Cristo, o porque que são crentes, o que Cristo fez por eles na Cruz, o que é pecado, o que é inferno, o que eles estão fazendo nas suas vidas além de irem a igreja duas vezes por semana e viverem no Facebook e postando fotos no Instagram. Pergunte se eles já pregaram o Evangelho para qualquer pessoa que não é cristã. Indague eles sobre Alá, Buda, doutrinas Kardecistas e veja se eles defenderão a fé em Cristo com unhas e dentes.
 
De 100 jovens que você indague, se você encontrar apenas 1 que defenda a fé em Cristo, que maneje com sabedoria a Palavra, será muito.
 
Por isso, mesmo feliz com teus prognósticos a respeito do futuro da CCB, sou realista: Somente Deus tem poder de REAVIVAR a Congregação.
 
Abraços e que Deus te abençoe.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário