Google+ Followers

terça-feira, 17 de novembro de 2015

Será tarde demais para se arrepender?

 
Por C. Michael Patton
 

Eu tenho o prazer de lidar com um grande número de pessoas que duvidam da sua fé cristã. Não, eles não são céticos do cristianismo (embora eu também lide com muitos desses), eles são cristãos que querem parar de duvidar. Eu digo “prazer” porque essas feridas, na maioria das vezes, podem ser curadas, e eu me sinto honrado de ter este papel na vida de muitos crentes feridos.
 
Muitos destes cristãos sofrem com a agonia da incerteza, lutando para se manter acima da água. Eles duvidam da presença de Deus, do amor, da existência, e de sua salvação (entre outras coisas). Uma senhora, no ano passado, escreveu-me a cada três dias, lutando com o mesmo problema. Ela acreditava que Deus a odiava e que não poderia ser restaurada. Ela se referiu a muitas passagens em apoio à sua ansiedade.
 
Havia o “pecado para a morte” de 1 João 5.16. E, claro, se referiu à “blasfêmia contra o Espírito” de Mateus 12.31. Mas a que repetidamente serve como ilustração é encontrada em Hebreus 12.17:
 
"Pois sabeis que, posteriormente, querendo herdar a benção, [Esaú] foi rejeitado, pois não achou lugar de arrependimento, embora, com lágrimas, o tivesse buscado."

Esta é uma passagem verdadeiramente muito difícil, especialmente para aqueles que duvidam de sua fé e segurança no amor de Deus. Deixe-me tentar explicar de uma forma que venha, com esperança, consolar o coração partido espiritualmente.
 
Esaú foi impedido de se arrepender?
 
O arrependimento é o outro lado da fé. Quando vamos a Cristo, estamos arrependidos de muitas coisas, incluindo o nosso orgulho, que nos mantem longe de Deus desde o início. Estamos arrependidos de nosso antagonismo em relação a ele. Nosso arrependimento é ilustrado em nossos joelhos curvados. E então, confiamos que Deus nos perdoa.
 
O assustador sobre esta passagem é que parece que Esaú está tentando voltar para Deus em arrependimento, mas ele não pode.
 
Na verdade, não é esse o caso!
 
A questão é:
 
O que Esaú estava buscando com lágrimas?
O que significa a letrinha “o”, de Hebreus 12:17 (“com lágrimas, o tivesse buscado”)?
 
Muitas pessoas acham que é o arrependimento. A ordem das palavras deixa outras possibilidades obscuras.
 
Pelo valor nominal em muitas traduções, parece que é por arrependimento que Esaú está buscando.
 
Observe as leituras nas seguintes traduções:
 
Almeida Revisada Imprensa Bíblica: Porque bem sabeis que, querendo ele ainda depois herdar a bênção, foi rejeitado; porque não achou lugar de arrependimento, ainda que o buscou diligentemente com lágrimas.
 
Almeida Corrigida e Revisada Fiel: Porque bem sabeis que, querendo ele ainda depois herdar a bênção, foi rejeitado, porque não achou lugar de arrependimento, ainda que com lágrimas o buscou.
 
Sociedade Bíblica Britânica: Pois sabeis que quando ele ainda depois desejava herdar a bênção, foi rejeitado, porque não achou lugar de arrependimento, embora o buscasse diligentemente com lágrimas.
 
Cada uma destas traduções dá a impressão de que Esaú buscou basicamente por arrependimento. Se assim for, este é um motivo de grande preocupação, uma vez que ensina que talvez sejamos capazes de voltar para Deus com lágrimas, verdadeiramente procurando o arrependimento, mas não seremos capazes de encontrá-lo.
 
Ela ensinaria que pode haver pessoas que realmente querem transformação a partir de seu pecado, mas não conseguem encontrar a misericórdia de Deus. Pode ensinar que você poderia se aproximar do trono de Deus pedindo o dom do arrependimento e ser desligado. Pode ensinar que há um momento nessa vida em que é tarde demais, não importa o quanto você deseja mudar. Isso é assustador.
 
Buscando arrependimento ou bênção?
 
No entanto, a interpretação correta - e eu acredito - a maneira mais fiel de entender esta passagem, seria olharmos a história de Esaú, que esta registrada no livro de Genesis - o primeiro livro da Bíblia.
 
O pronome “o” não tem um, mas dois possíveis antecedentes. Quando estruturado na forma das traduções que citei, o jeito mais comum de ler é procurando a possibilidade mais próxima como o referente ao que Esaú procurou. E o mais próximo referente à “o” nas traduções em Língua Portuguesa, dá-se a impressão que é realmente “arrependimento”.
 
No entanto, a língua grega (idioma em que foi escrito o Novo Testamento) segue um conjunto de regras diferentes.
 
A ordem das palavras é secundária à inflexão. A letrinha “o” – conforme a gramática grega - é um pronome feminino, o que significa que o substantivo que modifica será feminino também.
 
Neste verso há dois substantivos femininos no grego: “arrependimento” e “bênção”.
 
Portanto, há duas opções viáveis aqui para o que Esaú buscou com lágrimas:
 
Ou era arrependimento ou era a bênção.
 
Não é necessário analisar minuciosamente e nos debruçarmos na gramática e sintaxe do texto original que esta em grego, basta olhar para o contexto da história que o autor da epistola aos  Hebreus faz referência...
 
Então, vamos olhar para a história de Esaú lá em Genesis...
 
A perda da bênção de Esaú
 
Quando nos voltamos para a narrativa em Gênesis 27, vemos Esaú sendo enganado por Jacó e sua mãe, que lhe tiram sua benção. Após Esaú descobrir que tinha sido enganado e que Isaque abençoara a Jacó, ele se desesperou.
 
Observe como a história continua:
 
Respondeu-lhe o pai: “Veio teu irmão astuciosamente e tomou a tua benção”. Disse Esaú: “Não é com razão que chama ele Jacó? Pois já duas vezes me enganou: tirou-me o direito de primogenitura e agora usurpa a bênção que era minha.” Disse ainda: “Não reservaste, pois, bênção nenhuma para mim?” Então, respondeu Isaque a Esaú: “Eis que o constituí em teu senhor, e todos os seus irmãos lhe dei por servos; de trigo e de mosto o apercebi; que me será dado fazer-te agora, meu filho?” Disse Esaú a seu pai: “Acaso, tens uma única bênção meu pai? Abençoa-me, também a mim, meu pai.” E, levantando Esaú a voz, chorou.
 
Esaú, de fato, chorou e se arrependeu.
 
Mas o que fez chorar? - Essa é a pergunta que não quer calar!
 
Resposta: Foi ter perdido – evidentemente - a sua bênção.
 
O contexto em Gênesis é claro, e não deixa quaisquer dúvidas!.
 
Devemos ver a passagem da epistola aos Hebreus pelo contexto do enredo original que esta em Genesis.
 
Portanto, o autor de Hebreus está dizendo que Esaú buscou a sua bênção e não arrependimento, com lágrimas.
 
Graça Radical
 
A Bíblia ensina que nunca existirá um dia antes da morte em que o arrependimento estará além do nosso alcance. Isso é o que continuei dizendo a senhora que falei anteriormente. Mesmo o ladrão na cruz encontrou humilde arrependimento em suas palavras a Jesus: “Lembra-te de mim quando entrares no teu reino”.
 
Esta é a maravilha do nosso Deus e do evangelho. O amor de Deus torna o arrependimento sempre aceitável, não importa onde você se encontra na vida.
 
Se você buscar por arrependimento, você vai encontrar. A graça de Deus é radical.
 
.........................................
 
Minha conclusão:
 
É tão obvio... O autor deste artigo tem toda a razão. Nem é necessário - de fato - ficar analisando e estudando exaustivamente o texto grego para entender!
 
A maior prova que Esaú não estava arrependido, é claramente evidenciado no fato dele planejar algum meio de matar o próprio irmão para recuperar o direito de primogenitura que era a única forma de herdar toda a riqueza da família.
 
Ou será que arrependimento gera sentimento e vontade de matar alguém da própria família? É claro que não! Falei sobre isso, no artigo "Deus rejeitou uma alma na "PALAVRA"... Que PALAVRA é esta?"
 
No mais, é oportuno copiar aqui, um pequeno trecho da fala do meu mano HP:

"[...] para ir ao inferno, o cara tem que querer mesmo, porque até no último minuto da vida, Deus é Aquele que se revela para que haja arrependimento dos pecados".  

Deus abençoe a todos os queridos leitores!
 
Douglas

 

4 comentários:

  1. Porventura Deus não ofereceu a benção ou a maldição ao povo de Israel?
    Realmente o Autor da epístola aos Hebreus está dizendo que foi oferecido à Esaú a benção e a maldição. Diante da tentação ele preferiu a maldição, depois se arrependeu.
    Porém, como seu arrependimento foi "por um instante e acabou rápido de mais", os espíritos imundos (oito para ser mais exato) dominaram seu entendimento. Por isso o arrependimento terminou, e seu coração teve lugar para coisas más. Assim, concluímos que o arrependimento diante de uma transgressão deve ser duradouro e persistente assim como Davi, não como Esaú.
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Preocupante essa parte em que os espíritos imundo dominam o entendimento da pessoa. Acredito que o arrependimento sincero afastam eles .

      Excluir
    2. Ah...

      Com relação aos espíritos malignos – o qual o nosso irmão Anônimo observou acertadamente – há um artigo aqui no blog sobre o assunto, onde tive a oportunidade de desmistificar esse pensamento errôneo em nosso meio! Chama-se “Os sete espíritos piores”.

      Que Deus abençoe os dois Anônimos!

      Excluir
    3. Então Anônimo,

      Não creio que Esaú estava arrependido com relação ao pecado moral em ter menosprezado a sua primogenitura. A maior evidencia é o fato de arquitetar um plano, logo depois do ocorrido, para matar seu irmão Jacó.

      Arrependimento não pode gerar no individuo o desejo de assassinar alguém, ainda mais da própria família!

      O arrependimento de Esaú consistia no fato de ter perdido as bênçãos que o direito de primogenitura lhe concediam legalmente.

      A primogenitura, era o recurso que lhe dava direito legal e também Patriarcal para herdar todas as posses e riquezas da família, ou seja, o seu interesse estava ligado ao dinheiro, nas posses e nas riquezas, e não em uma vontade genuína de regenerar-se de suas imoralidades, entende?.

      Acredito que arrependimento é uma graça concedida pelo Espirito Santo de Deus ao homem, isto é, o homem por si só não pode se arrepender pelas próprias virtudes.

      O conceito de arrependimento – biblicamente falando - é proveniente do verbo grego μετάνοια (“metanóia” em língua portuguesa), e significa “mudança de mente” ou “mudança de atitude”.

      Entrementes, a mudança de mente só pode ocorrer com uma intervenção Divina; o apostolo Paulo diz que “estávamos mortos pelos nossos delitos e pecados” (Efésios 2.1), ou seja, morto que no grego bíblico é νεκρός (“nécros” em língua portuguesa), significa um corpo em estado estático, imóvel, não pensa, não tem sentimentos, não tem vida. Por isso – assim creio - o homem não pode se arrepender por si só, com suas próprias virtudes pois, na condição de pecador, ele está morto espiritualmente e não pode se voltar a Deus!

      Em João 16.8, Jesus disse que é o Espirito Santo quem convence do juízo, do pecado e da justiça, portanto, não há nenhuma participação humana neste processo.

      O nosso irmão, o médico Lucas, registrou no livro de Atos 11.18 que é Deus quem concede o arrependimento para a vida...

      Enfim... Assim creio!

      Que Deus te abençoe Anônimo,

      Um osculo com carinho, na santa paz de Deus!

      Excluir