Google+ Followers

quarta-feira, 15 de julho de 2015

"Porque a letra mata, mas o Espírito vivifica"



Por Mateus de Souza

Se você frequenta uma denominação pentecostal, tenho quase certeza que já ouviu a frase do título desta postagem. Há vários irmãos os quais não consideram o estudo bíblico importante; outros até consideram errado. E dizem que a letra da Bíblia - bem como sua interpretação - são "reveladas" e não entendemos através de uma leitura contextualizada.

Se você frequenta a CCB (denominação a qual frequento) com certeza já ouviu isso. Mas gostaria de te lembrar do primeiro ponto de doutrina, o qual fala da Bíblia Sagrada.

"Nós cremos na inteira Bíblia e aceitamo-La como contendendo a infalível Palavra de Deus, inspirada pelo Espírito Santo. A Palavra de Deus é a única e perfeita guia da nossa fé e conduta, e a Ela nada se pode acrescentar ou d'Ela diminuir. É, também, o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê. (II Pedro 1:21; II Timóteo 3:16-17; Romanos 1:16)"

Esta frase "a letra mata, mas o Espírito vivifica" não constitui nem um versículo, mas parte de um. E as pessoas interpretam rapidamente sem entender o seu contexto. Nem leem os versículos iniciais do capítulo (pois é assim que entendemos).

Pois bem, vamos lá. Para entendermos o que essa frase significa, precisamos entender coisas elementares da Palavra de Deus.

Vou tentar fazer um resumão:

Deus criou o ser humano reto. Porém ele pecou contra Deus e se rebelou. Por causa de Adão todos viraram pecadores, e isso foi para toda a raça humana (Romanos 5:12).

Deus porém para demonstrar a sua Justiça deu ao ser humano a Lei. Esta consiste em mandamentos justos que o ser humano jamais consegue cumprir em sua plenitude. Deus a escreveu em duas tábuas e entregou a Moisés. Você vê isso ao ler Êxodo 19 e 20. A Lei são 10 mandamentos santos, justos e perfeitos.

Nós entendemos que o homem nasceu no pecado e é escravo do pecado, por isso não consegue ser perfeito em cumprimento à Santa Lei de Deus. Logo, a Lei apenas acaba condenando o ser humano e não o salva. Ela traz o conhecimento do pecado.

"Mas eu não conheci o pecado senão pela lei; porque eu não conheceria a concupiscência, se a lei não dissesse: Não cobiçarás." (Romanos 7:7).

E como vimos, Deus deu a Lei no Antigo Testamento, escrita em tábuas para Moisés. Ao entender isso, você entenderá que a letra que mata se refere à Lei, e o Espírito que vivifica é uma referência à Graça na Nova Aliança.

Vamos analisar desde o inicio do capítulo para entendermos. Preste atenção nas partes que pintarei de azul.

"Porventura começamos outra vez a louvar-nos a nós mesmos? Ou necessitamos, como alguns, de cartas de recomendação para vós, ou de recomendação de vós? Vós sois a nossa carta, escrita em nossos corações, conhecida e lida por todos os homens. Porque já é manifesto que vós sois a carta de Cristo, ministrada por nós, e escrita, não com tinta, mas com o Espírito do Deus vivo, não em tábuas de pedra, mas nas tábuas de carne do coração. E é por Cristo que temos tal confiança em Deus; Não que sejamos capazes, por nós, de pensar alguma coisa, como de nós mesmos; mas a nossa capacidade vem de Deus, O qual nos fez também capazes de ser ministros de um novo testamento, não da letra, mas do espírito; porque a letra mata e o espírito vivifica." (2 Coríntios 3:1-6).

Compreenderam? O apóstolo Paulo faz uma comparação entre a antiga aliança e a nova.

Na antiga Deus escreveu (a letra) em tábuas, e esta letra mata, porque o homem nunca consegue cumpri-la. Mas na nova aliança, não temos mais a letra que mata (Lei) como justificação, mas a Graça, pela qual somos salvos.

Por essa razão ele diz que somos ministros de um novo testamento (Graça, justificação pela fé), não da letra (Lei), mas do Espírito (referindo-se à nova aliança), porque a letra mata (a Lei não salva, apenas diz o que é justo, que o homem nunca consegue cumprir totalmente), mas o Espírito vivifica (No novo testamento temos o Espírito fixado em nossos corações por já sermos justificados).

E para entender de vez que Paulo se referia à Lei quando falava da "letra que mata", leiamos os versículos seguintes do mesmo capítulo:

"O qual nos fez também capazes de ser ministros de um novo testamento, não da letra, mas do espírito; porque a letra mata e o espírito vivifica. E, se o ministério da morte, gravado com letras em pedras, veio em glória, de maneira que os filhos de Israel não podiam fitar os olhos na face de Moisés, por causa da glória do seu rosto, a qual era transitória, Como não será de maior glória o ministério do Espírito? Porque, se o ministério da condenação foi glorioso, muito mais excederá em glória o ministério da justiça." (2 Coríntios 3:6-9)

Portanto, dizer que "A letra mata mas o Espírito vivifica" no intuito de reprovar o estudo bíblico alegando que tudo é "revelação" está totalmente errado.

Podemos concluir que a letra que mata é a Lei escrita em tábuas (Os dez mandamentos), porque ela é justa e o homem é pecador. Que o Espírito que vivifica é uma referência à nova aliança, à Graça e ao Espírito que é fixado em nossos corações pela Fé e não a supostas revelações.

Sola Scriptura a todos. Deus abençoe aos queridos leitores.

Um comentário:

  1. Muito bom!
    Parabéns pelo ótimo artigo! Com certeza vou compartilhar, eu mesmo já presenciei várias ocasiões onde se "explicavam" o não estudo da bíblia com a famosa frase do título do post!

    Um grande abraço, na Paz de Deus!
    E que Deus os abençoe!

    ResponderExcluir